Alunos que ocupam a E. E. Jardim Wilma Flor fazem canção criticando fechamento das escolas

Coletivo Digital

Alunos que ocupam a E. E. Jardim Wilma Flor fazem canção criticando fechamento das escolas

Música que chama o fechamento de escolas, pelo Governo Estadual, de “Ditadura Disfarçada” foi feita e gravada durante aula doada pelo Coletivo Digital

“Ditadura disfarçada, fechando escolas e abrindo prisões” diz o refrão da canção composta por alunos que ocupam a Escola Estadual Jardim Wilma Flor, bairro Inácio Monteiro, região Leste da cidade de São Paulo. (Ouça a música logo abaixo e leia a letra no fim deste texto)

Doação de Aula

Alunos da Escola junto com Wilken Sanches do Coletivo Digital

Alunos da Escola junto com Wilken Sanches do Coletivo Digital

A composição foi criada e gravada durante a aula que o Coletivo Digital doou para a escola, na quarta-feira (25/11).

Seguindo a linha do Coletivo Digital de trabalhar a produção cultural com Software Livre, propusemos a produção de um programa de Rádio Web ou de uma música falando sobre o que os alunos estavam vivenciando ali. Havia muitos violões pela escola, muita gente do Hip-Hop, rock e a opção deles foi pela música.

Rapidamente os alunos se reuniram (foto à esquerda), produziram uma letra em conjunto, outros montaram a harmonia base da canção, a melodia foi criada e as gravações começaram. Ao final, uma flauta apareceu e veio dar o toque final. Fizeram uma melodia na flauta também buy cialis online safely que identificaram como o “elemento indígena” da música.

Quem está organizando?

CartazUma das coisas que ficam muito claras para quem for ao Wilma Flor é quem está fazendo a “organização” nesta história.

O Governo Estadual tem dado o nome bonito de “(re)organização” à atitude bem feia de precarizar essas escolas, fechá-las e interferir diretamente na vida de alunos e professores, dessa forma.

No entanto, quem, de fato, está organizando as escolas são os alunos. Encontramos uma escola muito bem cuidada (a exemplo de outros relatos que temos ouvido e lido em diferentes e escolas, feitos por outros colegas) e pudemos perceber um sentimento de pertencimento muito grande dos alunos em relação à ela. Eles, autonomamente, organizam as tarefas de cuidar do prédio, fazem atividades com filmes, esportes, decidem ações em reuniões (participamos de uma delas). Uma experiência pedagógica, sem dúvidas, para os alunos e para nós que vimos apenas um pouco do que está se passando por lá.

Daí surgiu a ideia de fazermos uma criação musical, pois consideramos importante que eles façam essa disputa no campo da linguagem também. É nítido que quem organiza são eles.

Planos para o futuro

A intenção do Coletivo Digital é promover cursos mais completos para alguns desses alunos de modo que eles aprendam a produzir suas criações autonomamentes e multipliquem suas expressões e a de seus colegas.

Estiveram presentes pelo Coletivo Digital: Wilken Sanches, Thiago Esperandio e Rodolfo Avelino.

É preciso agradecer demais a nossa querida parceira de longa data, Zildete Araújo, que fez o convite para estarmos lá.

Fachada da Escola

Fachada da Escola

CONFIRA A LETRA DA CANÇÃO NA ÍNTEGRA!

A educação ecoa os gritos de agonia
Escola por escola, formamos uma família
Equipe de guerrilha contra a opressão
Bate de frente, cola a repressão
Da Zona Sul reflete a periferia
Governo acomodado tirou nossa alegria

Ditadura disfarçada, fechando escolas e abrindo prisões
Neste mundo onde crescem as guerras, o amor se esconde e a paz quase já era.