Retrospectiva Coletivo Digital 2016

Coletivo Digital

Retrospectiva Coletivo Digital 2016

Em 2016, fizemos muita coisa no Coletivo (Muita mesmoooo!!!). Pra lembrar de tudo e pra agradecer aos parceiros dessa jornada – já que estivemos muito bem acompanhados – resolvemos fazer uma Retrospectiva.

MÚSICA

Fizemos, ao longo do ano que passou, cerca de 20 shows em nossa casa.

Passaram pelo Barulho Lab, nosso projeto de fomento à música, artistas como Guilherme Moscardini; Thyanderson Sales; Cabaret da Gigi; Álvaro Petersen; Thiago K; Miguel Solari; Achromaline no Dia do Rock; OMB na Festa Julina; Adriano Salhab com seu repertório e sua homenagem a Elke Maravilha; Daniel Zé; Karina Kau; Banda NÃ; Tulio Fernandes; Orquestra de Berimbaus Paraguassu; Trio Acústico de las Americas e fizemos um Especial Dia das Crianças com a banda Racauí e Ju Cata-Histórias.

MOSTRA TAÍ – Território Artístico Imigrante

O mês de junho todo, dedicamos a arte de imigrantes residentes em São Paulo. Em parceria com O Visto Permanete ( <3 <3 <3 ) realizamos a MOSTRA TAI – Território Artístico Imigrante.

Na música, tivemos os shows de:

Quarteto Escolhidos (Congo), Fareta Sidibé (Guiné), Lenna Bahule (Moçambique), Os Escolhidos (Congo), Quarteto Escape (Equador/Brasil)

Nas artes plásticas, tivemos exposições de Alexis Flores (Cuba), Isidro Sanene (Angola) e Don Alberto (Bolívia).

Fizemos 3 sessões de cine/debates exibindo curtas metragens com a temática da imigração e tendo pocket shows de Luana Baptista (Uruguai), Joel Aurilien (Haiti) e Yannick Delass (Congo).

Foi um mês de grande público em nossa casa, muito aprendizado e novas amizades.

 

EXPOSIÇÕES

Fizemos exposições lindas de artistas que já eram, ou se tornaram, grandes amigos nossos:

Exposição Cenas Cotidianas, de Jere Nunes

Exposição Olho de Tolo – Caio e Barth

Exposição Circuitos Nus: Marcus Flavio

Exposição Frequências Dissonantes de Tiago Spina

o Hernani Dimantas também merece um menção aqui, pois algumas de suas obras serviram de cenário para nosso palco e fizeram nossos shows musicais ainda mais bonitos!

Como boa arte nunca é demais pra nós, muitas destas exposições foram inauguradas com POCKET SHOWS: Beto Siqueira e Felipe Mancini fizeram o Violão de Trincheira; Alexandre Modesto Trio também passou por aqui.

 

CURSOS E WORKSHOPS

Além de muitas apresentações artísticas, o Coletivo também ofereceu muita formação em 2016, em parceria com gente muito legal.

Com as queridas amigas do MUD, oferecemos 7 módulos de cursos de História da Dança no Brasil.

Fizemos o Curso de Fotografia Digital com Tulio Fernandes; Workshop de Cardboard com Diogo Costa Pinto e Rafael Sanchez Souza; Curso de Dança e Percussão Africana com Aboubacar Sidibé; Workshop Digital Self com Carol Berger; Curso lei Rouanet sem Mistérios, com Valterlei Borges; Workshop de Redes Sociais para os integrantes do Coletivo Grudis; Curso Dança Autonomia com Bárbara Côrtes; Ofinas de HTML em parceria com a comunidade Desprograme, dentro da SPTW; Curso de Cinema Independente: História, Teoria e Prática, com Leandro Afonso.

Em parceria com a Unicepan e Prefeitura de Osasco, realizamos duas edições de nosso Curso de edição Áudio;

Realizamos um curso de fotografia e filmagem e um curso de edição de vídeo, com Túlio Fernandes. Ambos os cursos aconteceram em Santo André e foram oferecidos para os servidores públicos do município.

Estivemos em Recife, no Freepop 2016, realizando oficinas de edição de vídeo para alunos do 1o grau que participavam do evento (molecada maravilhosa <3 ).

E pra cuidar do corpo e não só da mente, tivemos Yoga a preços populares com Camila Nuñes.

 

CINE/DEBATES

Em 2016, nossos cine/debates juntaram muitas coisas que a gente adora: filmes, bate-papo, aprendizado e pipoca:

Abrimos o ano exibindo o CitizenFour que mostrou a saga do Snowden pra fazer suas denúncias e trouxemos o Rafael Evangelista e Rodolfo Avelino para dar uma aula para a gente. Em seguida, vimos o Documentário Toda Reza do Coletivo Urucum e conhecemos xs queridxs Elirone Rosa e Rose Kareemi. Para falar sobre o fascismo que perde a vergonha de se mostrar no Brasil e no Mundo vimos A Língua das Mariposas, mediado pelo Fabio Venturini; conhecemos um pouco da realidade dos Pataxós do Sul da Bahia com o Cine/debate Filhos da Mata, com Franco Sd e Arte Ferro Herreria; discutimos a ineficácia da redução da maioridade penal com o curta É disso que eu tô falando, do Diretor Edgar Bueno; exibimos o Yo Si Puedo, documentário de Luiz Felipe Silva e Felipe Abreu que registrou a erradicação do analfabetismo na Bolívia. Fizemos cinco sessões do Festival de Cinema do Fim do Mundo #EstamosFudidos, discutindo os destinos da espécia humana ao lado do HDDimantas e da Maira Begalli e, ao lado do Leandro Afonso, exibimos três grandes filmes, discutindo Mise en scène: Coisas Secretas, Os anjos exterminadores e Blackout.

 

power-point-do-coletivo-digitalAlém dos shows, exposições, cursos e workshops, cine/debates, Mostras, e um montão de outras coisas legais que fizemos, fomos selecionados na 2a edição do Redes e Ruas. Estamos desenvolvendo a plataforma Crie.Art com cursos à distância de edição de vídeo, áudio e instalação de linux. Nossa plataforma é aberta para que outros movimentos culturais possam colocar cursos lá também.

Colaboramos na escrita do livro Redes e Ruas: Inclusão, cidadania e cultura digital, em parceria com os amigos do Sampa.Org. Nossa querida Beá Tibiriça fez a arte da capa.

Inauguramos o RODA COLETIVO, um projeto que há muito tempo desejávamos. Convidamos amigos para dar aulas para a gente sobre assuntos que precisamos nos aprofundar. A primeira edição foi com Flavia Lefevre e Bia Barbosa falando sobre a Coalizão Direitos na Rede e a segunda foi com o Guilherme Varella falando sobre as políticas culturais em tempos de democracia sob ataque.

Nosso ESTÚDIO de ÁUDIO – todo em Software Livre – onde já gravamos 2000 páginas do Paulo Freire em audiobook, seguiu gravando artistas. Aqui foi gravado o Hino do Fórum Social Mundial da Imigração; artistas como o Cauê Procópio, Tulio Fernandes estão em fase de produção de suas músicas.

Pensa que acabou? ainda tem mais!!!!!

Fizemos nosso próprio Powerpoint denúncia (acima, à esquerda); fomos entrevistados pelo Cidade Lúdica; abrimos nosso quintal acolhedor para o Bazar Pé da Serra e Bazar Artes e Afins; fizemos um play test do jogo Planeta Insano do Thiago Jacinto.

Permanecemos, firmes e fortes, nas nossas militâncias pelo Software Livre, Banda Larga, Neutralidade e Privacidade na Rede, acesso à internet, democracia e muito mais!… co-organizamos o Flisol em Santo André, acompanhamos a Campanha Banda Larga é um direito seu!, entramos na Coalizão Direitos na Rede que mapeia as ameaças à internet, boicotamos a 13a Oficina de Inclusão Digital feita sob o governo golpista, gritamos #ForaTemer em todos os lugares onde passamos…

retrospectiva-coletivo-digital-2016-agradecimento-aos-parceirosDeixamos para o final, um agradecimento especial aos parceiros que nos proporcionam projetos dos quais nos orgulhamos muito e ainda nos ajudam a manter o Coletivo funcionando.

Com a Secretária de Educação de Jovens e Adultos da Prefeitura de Santo André, oferecemos cursos de informática básica, operador em sistemas linux, webdesigner, audiovisual e formação em multimidia. Os cursos tiveram 160h de duração e foram todos realizados com Softwares Livres! 😉

Abraços e gratidão para os nossos professores e demais colaboradores!

Prosseguimos, em 2016, com a mais antiga de nossas parcerias, a Fundação Perseu Abramo, fazendo manutenção do servidor, sites e hotsites; suporte interno aos usuários e mantendo uma equipe super ponta firme lá para fazer o registro audiovisual dos eventos da FPA. Abraços a todos da nossa equipe que estiveram por lá prestando um trabalho muito ponta firme para nossa Fundação parceira!

Encerramos nossa Retrospectiva com a certeza de que fizemos muita coisa boa (Não somos falsos modestos… foram muito boas mesmo!).

Em 2017, continuaremos produzindo cultura e conhecimento de qualidade e LIVRE! Continuaremos na resistência contra os ataques ao Estado de Direito (de direita?) que está acontecendo no Brasil e suas demais ondas conservadoras. Continuaremos nossa militância por internet com Banda Larga, Neutralidade de Rede e Privacidade para todos!

Convidamos quem for de democracia e igualdade social para visitar nossa casa acolhedora!! Venha propor uma parceria com a gente para 2017 ser ainda melhor!